Olá Visitante, seja bem vindo!
Faça Login ou Registre-se
Artes
Filmes e Séries
Games
Literatura
Música
Quadrinhos
Home > Para Ler > Matérias
Por que ainda devemos agradecer a Carmen Miranda09. 02. 2015
Música
Carmen Miranda
Por Tiago Wonka
 
O que é que a baiana tem? Tem torso de seda, brincos, corrente e pulseira de ouro, saia engomada, sandália enfeitada e graça como ninguém! Dorival Caymmi compôs “O que é que a Baiana tem?” em 1939 para explicar o que, para ele, era uma baiana. Carmen Miranda não era uma delas, mas foi em sua voz e imagem que a canção ficou imortalizada.
 
Responsável por mostrar o “tempero verde e amarelo” para o mundo, se estivesse viva hoje, a cantora completaria seus 106 anos. Felizmente, seu legado perpetuou-se até os tempos atuais.
 
Miranda foi um talento inédito, virou ícone. Poucos conseguiram atingir seu status, e até hoje ela influencia artistas. Para comemorar a glória de sua obra, listamos 5 motivos pelos quais ainda devemos agradecer à “Pequena Notável”.
 
POR SER MUNDIALMENTE BRASILEIRÍSSIMA
 
Carmen foi a maior representante global da cultura brasileira, e até hoje ninguém conseguiu superá-la. Levando toda sua latinidade para a América do Norte, logo tornou-se querida por lá e pelo resto do mundo. Ganhou o apelido de “The Brazilian Bombshell” ou “A Explosão Brasileira”.
 
Em dado momento de sua carreira, passou a ser vista como demasiadamente caricata, criticada por alguns brasileiros que passaram a dizer que, na verdade, o estilo de Carmen sujava a imagem nacional, mas em verdade isso era o reflexo de uma certa “dor de cotovelo” dos tupiniquins, pelo sucesso que Miranda fazia no exterior.
 
“Disseram que Eu Voltei Americanizada” foi a música que Carmen deu em resposta àqueles que duvidavam de seu amor pelo país. Portuguesa de nascimento, mas de alma brasileira, ela nunca deixou de dizer como amava o Brasil, mesmo depois da ascensão de sua carreira no exterior.
 
 
POR SER UMA MULHER DE VANGUARDA
 
Mesmo tendo estudado em um colégio católico, onde aprendeu que apenas mulheres perdidas subiam em palcos, Carmen sabia que era aquilo que ela queria e foi corajosa o suficiente para fazê-lo.
 
Não bastando ser uma artista feminina, além de seu talento, grande parte do reconhecimento que obteve do grande público foi graças às extravagâncias que compunham a imagem inédita para a época. Seus colares, pulseiras, saias rodadas e turbantes, emprestados das baianas, viraram sua maior marca.
 
Miranda tornou-se um ícone hollywoodiano e, como todo grande ídolo, em pouco tempo seu estilo tomou as vitrines americanas. Os “balangandãs” figuraram entre as peças mais usadas na época, e essa movimentação foi chamada de “Miranda Look”. Carmen também foi responsável por criar o salto plataforma, ideia que teve para driblar a pequena altura e ter mais sustentação nos pés para dançar.
 
Carmen mostrou ao mundo um pouco do que era o Brasil
 
Nos anos 40, ela se tornou a cantora mais bem paga dos EUA, feito inédito para os latinos até hoje. Além disso, chegou a se apresentar para Franklin Roosevelt e tem uma estrela na Calçada da Fama. Ufa!
 
POR ENTENDER A IMPORTÂNCIA DAS PARCERIAS
 
“Juntos somos mais fortes”. Pegar o espírito dessa frase é importante no meio artístico, e Miranda sabia bem disso. Ela trabalhou com grandes nomes da música brasileira, o que marcou a qualidade de suas canções e as consagrou como sucessos.
 
Dentre os nomes que fizeram parte de sua estrondosa carreira estão Ary Barroso, autor de “Aquarela do Brasil”, Pixinguinha, autor de “Carinhoso”, e Dorival Caymmi, compositor de “O que é que a Baiana Tem?”, interpretada pela própria Carmen. Além disso, trabalhou com sua irmã, Aurora Miranda, e com Mário Reis, o “Bacharel do Samba”.
 
 
POR SER UMA ARTISTA VERSÁTIL
 
Desde pequena Carmen demonstrou talento para a música cantando no coral da escola onde estudava. É verdade que esse foi seu principal chamariz ao começar a carreira; porém, ela também sabia atuar, o que foi essencial para fazer sucesso na Broadway e em Hollywood. Tempo ruim? Jamais! Miranda se apresentou em teatros, cassinos, casas noturnas, programas de televisão e rádio.
 
Apesar de ter ganhado o título de sambista, gravou marchinhas de carnaval, músicas de tango, foxtrote e outros estilos musicais. A prova de que era versátil por natureza foi quando comprou seu próprio contrato com a 20th Century Fox que a obrigava a ficar presa à imagem de latina, inclusive tendo que falar inglês “desajeitado” mesmo sendo fluente. A compra aconteceu pois ela queria se aventurar em outros tipos de personagens menos estereotipados que lhe eram negados.
 
Se estivesse viva, a “Pequena Notável” faria 106 anos
 
POR ENSINAR COMO SE FAZ UMA PERFORMANCE
 
As performances de Carmen eram um show à parte, e ela poderia muito bem ensinar às divas atuais como se faz uma apresentação de qualidade. Cantava, dançava e andava de lá para cá o tempo todo. Os shows eram ricos, pomposos, coloridos, cheios de brilho e com muitos bailarinos executando exatamente a mesma coreografia. Os músicos tocavam ao vivo, e as performances sem dúvida eram um alto padrão de referência até mesmo para as grandes artistas da época.
 
Os espetáculos incluíam troca de figurino e cenário, algo extremamente caro e trabalhoso na época. Sem dúvida, um dos motivos que transformaram Carmen em uma reconhecida entertainer.
 
 
 
Comentários (0)
Comente você também!
Nome

Mostrado junto ao comentário
Email

Não mostrado junto ao comentário
Postar Comentário
CAPTCHA
Copie os caracteres que
aparecem na figura ao lado

Notícias
Visite nosso site de vendas
Arquivo
powered by Brado! Networks